sábado, 2 de abril de 2022

Teatro Popular de Ilhéus estreia “Sonhos” dia 10 de abril


O reencontro do Teatro Popular de Ilhéus com o público já tem local e data marcados. “Sonhos – o que restou de nós depois da tempestade” estreia dia 10 de abril (domingo), na cidade de Ipirá, Bahia. O espetáculo vai circular por 8 cidades do sertão baiano até o dia 27 de abril, apresentando-se gratuitamente em praça pública. O circuito ainda inclui os municípios de Pintadas, Conceição do Coité, Serrinha, Capim Grosso, Euclides da Cunha, Canudos e Uauá. A programação completa da turnê será divulgada em breve nas redes sociais e no site oficial do TPI, no link teatropopulardeilheus.com.br.

“Sonhos” é um espetáculo de rua, itinerante, que leva o público num passeio pela história do Teatro Popular de Ilhéus, suas montagens, suas estéticas e seus sonhos. A carroça do espetáculo “Uma certa Mãe Coragem” (2019) conduz o público e atores por três espaços distintos: O museu, o voo e o sonho. No museu estão recortes de uma memória em processo de construção. Cenas, personagens, músicas, figurinos, adereços e falas iniciais de alguns dos mais importantes espetáculos do grupo, desde 1995, na voz dos atores e atrizes que viveram as personagens. O voo é a representação da vivência do grupo na Tenda, seu espaço cultural entre 2013 e 2021, que caiu depois de uma forte tempestade no dia 26 de agosto de 2021. Imagens de espetáculos, público e experiências debaixo da lona são apresentadas, até que o circo voa, deixando em seu terreno o que restou destes mais de 26 anos de reinvenção do Teatro Popular de Ilhéus. De volta à carroça, o grupo voa para o sonho de construção de seu espaço, de seu teatro – ou re-teatro, ou teatro refeito. E os artistas põem mãos à obra para construir um espaço de afetos e sensibilidade, colocando na cena a memória recente da montagem de Sonho de uma noite de verão, interrompida pela pandemia.

O espetáculo-instalação “Sonhos – o que restou de nós depois da tempestade” é um experimento cênico que celebra o reencontro do Teatro Popular de Ilhéus com o público. A montagem tem dramaturgia e direção de Romualdo Lisboa e Luís Alonso-Aude. Composições e produção musical de Pablo Lisboa. Cenários, maquinaria, figurinos e adereços de Shicó do Mamulengo. No elenco, Tânia Barbosa, Iara Colina, Elisa Reichmann, Pablo Lisboa, Takaro Vítor e Aldenor Garcia. Iluminação e efeitos de Ely Izidro. Produção executiva de Rogério Matos.

 A circulação

O projeto “Shakespeare no Sertão” chega agora à sua segunda edição. No ano de 2017, o Teatro Popular de Ilhéus apresentou no mesmo circuito o espetáculo “Medida por medida”, da obra de William Shakespeare. Nesta nova circulação, o grupo incluiu mais duas cidades na turnê Conceição do Coité e Serrinha –, e leva na bagagem uma proposta de intercâmbio com grupos e artistas locais. O projeto “Shakespeare no Sertão” é financiado pela Secretaria de Cultura da Bahia (SECULT-BA) através do Edital Setorial de Teatro 2019 do Fundo de Cultura do Estado da Bahia (FUNCEB), Governo do Estado da Bahia.

O Teatro Popular de Ilhéus é uma instituição cultural privada, parcialmente mantida pelo programa de Ações Continuadas de Instituições Culturais – uma iniciativa da Secretaria de Cultura da Bahia com recursos do Fundo de Cultura do Estado da Bahia, Governo do Estado da Bahia, mecanismo que custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada.

quinta-feira, 30 de dezembro de 2021

O que restou de nós depois da tempestade

 Carta de fim de ano do Teatro Popular de Ilhéus

Que ano esse de 2021! O balanço do Teatro Popular de Ilhéus bem podia ser uma sucessão de perdas, dores, tristeza e desolação. Porque a pandemia segue matando pessoas, pais, mães, filhos, amigos, porém muito menos graças ao avanço da vacinação. Mas, como fruto do desgoverno que se instalou no país, veio a fome, que havíamos superado, e junto com a fome essa sensação de que voltamos 10 casas no jogo da vida. E vieram as tempestades e com elas as cheias dos rios, as enchentes levando nas correntezas os sonhos, as lutas de uma vida inteira, a casa própria, os móveis comprados em longas prestações.

No dia 26 de agosto nosso espaço ruiu. Nosso acervo de figurinos, adereços, cenários desabou depois de uma forte chuva com ventos poderosos. Mas mesmo chorando as perdas, mesmo imersos em dor, tristeza e desolação, 2021 precisa ser celebrado porque estamos vivos. E somos muitos: Takaro, Tânia, Ely, Aldenor, Cabeça, Iara, Toninho, Romualdo, Elisa, Pablo, Elson, Ruan, Camila, Luís, Rogério, Pedro, Bárbara, Haísa, Mãe Ilza, Thiago, Gilberto, Franklyn, Gilton, Radiola, a cachorrinha Taísa... o Teatro Popular de Ilhéus sobreviveu a 2021 com muita arte. Realizamos 55 apresentações online para um público de mais de 10 mil pessoas. Tivemos 200 horas de curso de formação para nosso elenco e compartilhamos nossas técnicas com mais de 300 pessoas através do projeto de mediação de novos públicos, tudo com financiamento do Governo do Estado da Bahia, Secretaria da Fazenda, Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, através do Programa de Apoio a Ações Continuadas de Instituições Culturais.

Mas o melhor de tudo isso é que pela primeira vez em 26 anos de existência nós temos um chão para chamar de nosso. Desde o início do ano os sócios remidos do Clube Social do Pontal vêm buscando os meios de doar ao Teatro Popular de Ilhéus o terreno que abrigou o Clube até os anos 1980. Pois é, o TPI agora tem um espaço para construir sua tão sonhada sede própria. Com apoios importantes, da Prefeitura Municipal de Ilhéus, Governo do Estado e iniciativa privada, esperamos tão logo captar os recursos necessários para a construção de um teatro moderno e dinâmico. Até lá, seguimos trabalhando.

Em breve estrearemos o espetáculo Sonho de uma noite de verão, que pretende levar às praças públicas do Brasil e do mundo a história de um grupo de teatro que perdeu seu circo para o vento e agora busca construir um novo espaço enquanto monta Shakespeare. E assim, nos reencontraremos de novo, sobreviventes e renovados, levando nossas histórias, nossos aprendizados e nossos sonhos para o público. E viva 2021! Viva Équio Reis! Viva o teatro! Em 2022 nos vemos nos palcos e na vida para (re)existirmos!

quarta-feira, 15 de dezembro de 2021

Estreia Nacional da nova montagem do Teatro Popular de Ilhéus

 “Meu monstro é um espetáculo” estreia no domingo (19) pelo zoom


Uma criança isolada pela pandemia se depara com seus próprios monstros. “Eles são assustadores ou encantadores?”, essa questão mobiliza seu pai a construir um universo imaginário que recria sua casa, seus medos, suas reflexões e desafios. Inspirado nos autômatos e no Teatro Lambe-lambe, o musical Meu monstro é um espetáculo passeia por diversos ritmos musicais, vai do samba ao rock passando pelo reggae e maracatu, tudo na voz de Camila Carvalho, atriz de 11 anos de idade, que dá vida à criança e seu imaginário.

“Essa é uma montagem diferente. Nos impôs muitos desafios, para além daqueles que já nos são impostos pela precariedade que a produção cultural no Brasil tem passado nos últimos anos. O isolamento social, o ‘monstro’ da pandemia nos cercando, o medo de ser infectada, o medo de morrer, de perder algum parente...” É o que diz Tânia Barbosa, diretora da montagem, em trecho de seu depoimento sobre o processo criativo de Meu monstro é um espetáculo.

A montagem é uma parceria de Tânia com Cabeça Isidoro, que assina a direção musical. De acordo com os realizadores foram mais de 4 meses de trabalho. Tudo começou com a criação e confecção das caixas-cenários. Uma tarefa engenhosa assumida por Cabeça que confeccionou cada caixa com material reciclável, e Tânia, responsável pela pintura e acabamento. Mas a equipe do projeto contou com outras cabeças. Pablo Lisboa, ator, músico e compositor foi responsável pela produção musical. Luis Alonso-Aude, ator, pesquisador e diretor teatral fez a direção da pós-produção de imagens. Ainda trabalharam no projeto, Antônio Melo, na preparação vocal, e Ruan Lisboa, responsável pela montagem e finalização.

O espetáculo estreia 19 de dezembro às 17 horas, contando com mais uma apresentação no dia 26 também às 17 horas. Os ingressos são limitados, e estão à venda na plataforma Sympla por 10 e 20 reais. O público pode ainda ajudar o grupo com colaborações voluntárias de 50 e 100 reais, e dessa forma contribuir para a construção da nova sede do Teatro Popular de Ilhéus.

Os ingressos estão disponíveis no site: www.sympla.com.br/teatropopulardeilheus

Bate-papo com os criadores

Após as exibições do espetáculo, Camila Carvalho, Tânia Barbosa e Cabeça Isidoro abrem suas casas para um bate-papo com a criançada, que poderá fazer comentários e perguntas sobre o processo criativo de Meu monstro é um espetáculo.
 
O Teatro Popular de Ilhéus é uma instituição cultural privada, parcialmente mantida pelo programa de Ações Continuadas de Instituições Culturais – uma iniciativa da Secretaria de Cultura da Bahia com recursos do Fundo de Cultura do Estado da Bahia, Governo do Estado da Bahia, mecanismo que custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada.

terça-feira, 7 de dezembro de 2021

Teatro Popular de Ilhéus lança single no próximo dia 10

 A música “Como reconhecer um monstro” faz parte da trilha sonora do novo espetáculo do grupo

 


 A trilha sonora da nova montagem do Teatro Popular de Ilhéus, “Meu monstro é um espetáculo”, será lançada em todas as plataformas digitais ainda em dezembro. Mas antes, o público terá acesso a uma das músicas do álbum: “Como reconhecer um monstro” na próxima sexta-feira (10), a partir das 19 horas nas plataformas digitais.

 

O single

A música “Como reconhecer um monstro” é uma composição de Cabeça Isidoro com letra de Tânia Barbosa. Para quem está curioso com o novo espetáculo do Teatro Popular de Ilhéus, essa será uma ótima oportunidade de sentir um pouco do que vem por aí.

 

O espetáculo

Com estreia marcada para 19 de dezembro, “Meu monstro é um espetáculo” é a mais nova montagem do Teatro Popular de Ilhéus. A partir de caixas de papelão são construídos cenários utilizando material reciclável. O cenário ganha movimentos operados por seus criadores, numa inconfundível inspiração nos autômatos e Teatro Lambe-lambe. A montagem resulta num musical que traz à cena uma criança em busca de respostas e se depara com seus próprios monstros. Uma viagem na imaginação infantil, uma criação totalmente nova do grupo. Eles são “às vezes encantadores, outras vezes assustadores”. Pai e filha libertam a imaginação, entre sonhos e pesadelos, criando um novo jeito de brincar.

 

O álbum

O álbum tem 9 músicas. Com letras de Tânia Barbosa e direção musical de Cabeça Isidoro. O projeto conta ainda com produção musical e orquestração de Pablo Lisboa, arranjos também de Pablo em parceria com Cabeça Isidoro, voz de Camila Carvalho e Cabeça Isidoro. As composições são assinadas por Cabeça Isidoro e Pablo Lisboa, com Luís Alonso-Aude, diretor teatral que integra o Teatro Popular de Ilhéus desde 2019, assinando com Cabeça a composição de uma das faixas. Já a preparação vocal é do maestro Antônio Melo.

 

Serviço:

Quando: 10 de dezembro

Onde: Plataformas digitais

Fotos: Ruan Lisboa

quinta-feira, 25 de novembro de 2021

Live dos 15 anos de Teodorico Majestade acontece nesta sexta

Nesta sexta-feira, dia 26 de novembro, o espetáculo "Teodorico Majestade: as últimas horas de um prefeito", do Teatro Popular de Ilhéus, completa 15 anos em cartaz. Para comemorar esse aniversário, vai acontecer uma live comemorativa com o elenco e convidados especiais.

O espetáculo é uma sátira política sobre um prefeito boca-suja e cachaceiro que está prestes a perder seu mandato por conta de denúncias de corrupção. Inspirada na literatura de cordel, na xilogravura e no cancioneiro nordestino, a montagem surgiu como um posicionamento do Teatro Popular de Ilhéus diante dos escândalos ocorridos na cidade, e sua repercussão contribuiu para a mobilização da população ilheense contra o então prefeito Valderico Reis, tendo histórica importância na cassação de seu mandato em 2007.

Para celebrar o aniversário do espetáculo de maior sucesso do Teatro Popular de Ilhéus, o bate-papo vai contar com a presença do elenco e de convidados especiais que fizeram parte dessa jornada. Elson Rosário, cineasta e produtor cultural, lançou em 2011 um documentário sobre o espetáculo e sua participação no processo de cassação. Em 2017, Karoline Vital, atriz e comunicadora social, publicou uma dissertação de mestrado sobre o espetáculo.

A live dos 15 anos de Teodorico Majestade acontece nesta sexta (26), às 21 horas, no TPIFLIX, o canal do Teatro Popular de Ilhéus: www.youtube.com/teatropopulardeilheus.

A manutenção do Teatro Popular de Ilhéus é parcialmente financiada pelo Programa de Apoio a Ações Continuadas de Instituições Culturais do Fundo de Cultura da Bahia, através da Secretaria de Cultura do Estado, Secretaria da Fazenda, Governo do Estado da Bahia.

(Foto do card: Andrea Rocha, 2010 - Teatro de Arena da Caixa, Rio de Janeiro)

sábado, 20 de novembro de 2021

Elenco do Teatro Popular de Ilhéus retoma atividades presenciais pela primeira vez desde o início da pandemia

 

No dia 15 de março de 2020, o Teatro Popular de Ilhéus recebia o público presencialmente pela última vez antes do lockdown imposto pela pandemia do Covid-19. Desde então, o grupo se reinventou ao criar o projeto "TPIFLIX", com programação totalmente online, trazendo espetáculos, musicais, shows, debates e performances audiovisuais para seu canal no Youtube e apresentações via Sympla e Zoom.

Após 1 ano e 8 meses em isolamento social, o elenco do TPI voltou a se encontrar esta semana. Dos dias 16 a 19 de novembro, atrizes, atores e diretores do grupo participaram da oficina "Preparação corporal: corpo da cena no vídeo", ministrada por Cláudio Machado, e da oficina "Energia e expressividade na cenografia teatral", ministrada por Rafael Magalhães. Os encontros aconteceram nos estúdios da A-rrisca, no Pontal, e fazem parte da preparação para a retomada dos ensaios presenciais de novos espetáculos previstos para estrearem em 2022.

 

Cláudio Machado é ator, dançarino, diretor e produtor cultural, com mais de 20 anos de atuação em mais de 50 produções baianas para as linguagens de teatro, dança, performance, música e cinema. Foi membro fundador do Grupo Vilavox, e atualmente dirige a Mostra Porto Brasil dentro da programação anual do Sommerwerft Internationales Festival am Fluss em Frankfurt, na Alemanha. Sua oficina foi pensada diante da necessidade de migrar os espetáculos teatrais para o universo online, onde o corpo do ator teatral teve que passar por transformações enormes. A proposta é exercitar o corpo do artista da cena para responder de forma mais eficiente às exigências da cena no campo virtual.

Rafael Magalhães é ator e membro do grupo internacional Ponte dos Ventos, com sede na Dinamarca. Com quase 40 anos de investigação do trabalho cênico, desenvolveu uma vasta experiência pedagógica-teatral, ministrando diversos workshops em festivais e universidades internacionais. Sua oficina, centrada no trabalho de preparação do ator a partir do texto dramático, perpassou o trabalho psicofísico dos atores e das atrizes, fazendo uso de novos elementos cenográficos, chegamos ao cenário como resultado dessa conjunção de conhecimentos e elementos da cena. A elaboração de um espaço onde surge uma dramaturgia do novo espetáculo.

Nova sede, novos projetos

Desde o início do período de isolamento social, muita coisa aconteceu. Diante das dificuldades agravadas pela interrupção das atividades presenciais, em outubro de 2020 o grupo entregou a Tenda, estrutura alugada construída em lona e localizada na Avenida Soares Lopes, que funcionou como sua sede desde 2013. Mas ainda sem perspectiva de um novo local, a companhia manteve todo o seu acervo de 26 anos de história abrigado sob a lona - que no dia 26 de agosto deste ano, após fortes ventos e chuvas, desabou, obrigando a equipe do TPI a resgatar seu acervo às pressas, que foi abrigado provisoriamente na Concha Acústica e da Secretaria de Cultura de Ilhéus.

Naquele momento, o sonho da sede própria começou a se concretizar, e o Teatro Popular de Ilhéus recebe a doação de um imóvel por parte dos sócios remidos do antigo Clube do Pontal. O espaço estava desativado há muitos anos, e agora o grupo busca recursos para reformar e reativar aquela que passará a ser a sede própria do Teatro Popular de Ilhéus em construção. Enquanto isso, a produção de novos espetáculos não pára, com retomada das atividades presenciais abertas ao público prevista ainda para o início de 2022.

A manutenção do Teatro Popular de Ilhéus é parcialmente financiada pelo Programa de Apoio a Ações Continuadas de Instituições Culturais do Fundo de Cultura da Bahia, através da Secretaria de Cultura do Estado, Secretaria da Fazenda, Governo do Estado da Bahia.

Estreia do novo espetáculo do Teatro Popular de Ilhéus acontece no FILTE

 

No dia 28 de novembro (domingo), às 09 horas, o Teatro Popular de Ilhéus fará a estreia da mais nova montagem do grupo. O musical "Meu monstro é um espetáculo" vai ser transmitido na programação da 13ª edição do FILTE BAHIA - Festival Latino Americano de Teatro na Bahia.

Uma criança em busca de respostas se depara com seus próprios monstros. Eles são às vezes encantadores, outras vezes assustadores. Pai e filha libertam a imaginação e entre caixas, sonhos e pesadelos, e criam um novo jeito de brincar. Com 25 minutos de duração, o espetáculo infantojuvenil é uma experimentação inédita do TPI, inspirado nos autômatos e teatro lambe lambe, com todo o cenário em caixas de papelão e materiais reciclados, com móveis e elementos articulados que dão vida à cena. Mais uma forma encantadora de contaminar o audiovisual com teatro.

Montado em plena pandemia e com nove canções inéditas, o musical tem ainda diversos desenhos de monstros enviados por crianças. O espetáculo tem direção artística de Tânia Barbosa, direção de pós-produção de imagens de Luis Alonso-Aude e elenco composto por Camila Carvalho e Cabeça Isidoro. Além disso, a idealização dos cenários é de Tânia Barbosa e Cabeça Isidoro, que junto com Pablo Lisboa, realizam as animações. Com fotografia, montagem e finalização de Ruan Lisboa, letras de Tânia Barbosa, direção musical de Cabeça Isidoro, preparação vocal de Antônio Melo e arranjos de Cabeça Isidoro e Pablo Lisboa. 

IntimIDADES também estará no FILTE 

Outro espetáculo que também será exibido na programação do FILTE BAHIA é a performance audiovisual "IntimIDADES: três mulheres, o tempo, o corpo, o sonho". A transmissão acontecerá dia 26 de novembro (sexta-feira), às 17 horas, também no canal do FILTE BAHIA no Youtube. A montagem faz uma viagem na memória de três atrizes/personagens, sua relação com o corpo que se transforma no tempo, as lutas diárias contra o patriarcado e os seus sonhos. A performance busca refletir sobre os conflitos que o tempo nos impõe, abrindo uma janela num diálogo entre passado, presente e futuro. Com Tânia Barbosa, Iara Colina e Mãe Ilza Mukalê, o espetáculo tem dramaturgia coletiva, encenação de Romualdo Lisboa, músicas de Eloah Monteiro e letras de Romualdo Lisboa com arranjos de Pablo Lisboa. 

O FILTE BAHIA 2021 acontece de 22 e 28 de novembro, de forma totalmente online, com espetáculos, cursos, colóquios e mais encontros especiais, e neste ano presta homenagem aos 26 anos do Teatro Popular de Ilhéus. Mais informações no site do festival: www.filte.com.br O FILTE BAHIA - Festival Internacional Latino Americano de Teatro da Bahia - tem apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia.

A manutenção do Teatro Popular de Ilhéus é parcialmente financiada pelo Programa de Apoio a Ações Continuadas de Instituições Culturais do Fundo de Cultura da Bahia, através da Secretaria de Cultura do Estado, Secretaria da Fazenda, Governo do Estado da Bahia.

segunda-feira, 25 de outubro de 2021

TPIFLIX recebe quatro convidados no "Improviso, oxente!" para debater sobre cidadania

 

Hoje começa uma edição "Improviso, oxente!", o quadro de debates do Teatro Popular de Ilhéus sobre temas de relevância social. O evento acontece dos dias 25 a 28 de outubro (segunda a quinta-feira), sempre às 19 horas, no TPIFLIX, o canal do Teatro Popular de Ilhéus no YouTube. O tema desta edição é “O Exercício da Cidadania”, e receberá quatro convidados discutindo ao vivo o exercício da cidadania em algumas frentes vitais para a retomada das atividades neste cenário de pandemia.

No dia 25, segunda-feira, Rui Rocha debate o tema “Cidadania e a luta pela preservação do meio ambiente”. Rui é agrônomo, mestre em Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade, professor do Departamento de Ciências Agrárias da UESC e colaborador do Mestrado Profissional da Escola Superior de Conservação Ambiental e Sustentabilidade. Sócio fundador e atual presidente do Instituto Floresta Viva. Estuda desde 2015 o potencial de restauração de florestas tropicais aliado à melhoria das condições econômicas da região, em cooperação com a UFSB e a Universidade Brown.

Na terça-feira, dia 26, Bebeto Galvão fala sobre “Cidadania e a luta por direitos trabalhistas, emprego e renda”. Bebeto iniciou a carreira política no movimento estudantil. Foi presidente do Sindicacau em Ilhéus, presidente do Sintepav-BA, vice-presidente da Força Sindical Nacional, vice-presidente da ICM, secretário geral da CNTIC, vice-presidente da FENATRACOP e atualmente é membro do Comitê Global da ICM em Genebra. Já foi eleito vereador e deputado federal, foi coordenador do Escritório de Representação do Governo da Bahia em Brasília e assessor especial do governador. Atualmente é vice-prefeito de Ilhéus.

Já na quarta, dia 27, Iara Colina traz uma conversa sobre “Cidadania e a luta por equidade de gênero”. Graduada em Artes Cênicas (UFBA), mestra em Letras: Linguagens e Representações (UESC), com pesquisa na área de Literatura, gênero e sexualidade, Iara Colina é atriz, diretora teatral, técnica administrativa e pesquisadora no IF Baiano. Idealizou e é membra do Geni – Núcleo de Estudos de Gênero e Sexualidade do IF Baiano Campus Uruçuca desde 2017.  Integra o Gedisex – Grupo de Pesquisas e Práticas em Gênero, Diversidade e Sexualidade (IF Baiano/CNPQ).

E fechando a programação, na quinta-feira, dia 28, Bernadete Souza reflete sobre “Cidadania e a luta pela terra”. Mulher negra, feminista e ativista do Movimento Negro Unificado (MNU), Bernadete é assentada pela reforma agrária, Ialorixá do Terreiro Ilê Axé Odé Omí Ewa em Ilhéus, educadora popular, graduada em Letras pela UNEB e Especialista em Educação do Campo e Agroecologia pela USP. Foi candidata à prefeitura de Ilhéus em 2020 pelo PSOL e em 2018 a co-senadora pelo partido. Atualmente é assessora da Mandata Coletiva Pretas por Salvador.

O papo tem mediação de Romualdo Lisboa. O encontro tem ainda o objetivo de buscar conteúdo para a montagem de “Sonho de uma Noite de Verão”, que foi interrompida em março de 2020 em função da pandemia. Para acompanhar toda a programação do "Improviso, oxente!" e de outros eventos virtuais do Teatro Popular de Ilhéus, basta acessar o canal através do link youtube.com/teatropopulardeilheus.

A manutenção do Teatro Popular de Ilhéus é parcialmente financiada pelo Programa de Apoio a Ações Continuadas de Instituições Culturais do Fundo de Cultura da Bahia, através da Secretaria de Cultura do Estado, Secretaria da Fazenda, Governo do Estado da Bahia.

sexta-feira, 15 de outubro de 2021

TPIFLIX exibe "IntimIDADES" e "Teodorico" gratuitamente neste final de semana


Com uma programação rica para o mês de Outubro, o Teatro Popular de Ilhéus exibe dois espetáculos neste final de semana de forma totalmente gratuita no TPIFLIX, o seu canal no Youtube. O grupo ainda não possui programação presencial - tanto em razão da pandemia quanto por conta de sua nova sede ainda estar em processo de reforma. Enquanto isso, o público pode continuar acompanhando a programação vigente, e ainda acessar gravações de espetáculos, documentários, debates e tantas outras opções disponíveis em seu repertório virtual.

Nesta sexta, dia 15 de outubro, às 19 horas, será exibido o espetáculo "IntimIDADES: três mulheres, o tempo, o corpo, o sonho". A montagem é uma performance audiovisual do Teatro Popular de Ilhéus que faz uma viagem na memória das três atrizes/personagens, sua relação com o corpo que se transforma no tempo, as lutas diárias contra o patriarcado e os seus sonhos. A performance busca refletir sobre os conflitos que o tempo nos impõe, abrindo uma janela num diálogo entre passado, presente e futuro. Com Tânia Barbosa, Iara Colina e Mãe Ilza Mukalê, o espetáculo tem dramaturgia coletiva, encenação de Romualdo Lisboa, músicas de Eloah Monteiro e letras de Romualdo Lisboa com arranjos de Pablo Lisboa.

Já neste sábado, dia 16, também às 19 horas, acontece a transmissão do espetáculo “Teodorico Majestade: a última Live de um Prefeito”. Nesta versão online, o Teatro Popular de Ilhéus tenta contaminar o audiovisual com teatro, e o elenco do espetáculo abre suas casas para receber o público. "Teodorico Majestade: a última live de um prefeito" é o espetáculo do Teatro Popular de Ilhéus que está em cartaz desde 2006. Teodorico, Prefeito de Ilha bela, está prestes a perder seu mandato depois que uma onda de denúncias de corrupção tomou conta dos noticiários. Até um grupo de teatro resolveu fazer um espetáculo sobre ele. Agora, está acuado, pressionado a assinar seu pedido de renúncia. Com Ely Izidro, Tânia Barbosa, Takaro Vítor, Cabeça Isidoro e Aldenor Garcia. Texto e direção de Romualdo Lisboa. Direção musical e composições de Cabeça Isidoro. Preparação de elenco de Luis Alonso-Aude.



Os espetáculos "IntimIDADES" e "Teodorico Majestade" terão sessões toda sexta e sábado do mês de agosto, respectivamente. Além disso, nos dias 25 a 28 de outubro o Teatro Popular de Ilhéus realiza mais uma edição do quadro “Improviso, oxente!” O projeto de debates do Teatro Popular de Ilhéus tem o objetivo de buscar conteúdo, compartilhando com o público, para a montagem de “Sonho de uma Noite de Verão”, que foi interrompida em março de 2020, em função da pandemia. O tema desta edição é “O Exercício da Cidadania”, e receberá quatro convidados muito especiais discutindo ao vivo o exercício da cidadania em algumas frentes vitais para a retomada das atividades neste cenário de pandemia. No dia 25, segunda-feira, Rui Rocha debate o tema “Cidadania e a luta pela preservação do meio ambiente”. Na terça, dia 26, Bebeto Galvão fala sobre “Cidadania e a luta por direitos trabalhistas, emprego e renda”. Já na quarta, dia 27, Iara Colina traz uma conversa sobre “Cidadania e a luta por equidade de gênero”. E fechando a programação, na quinta-feira, dia 28, Bernadete Souza reflete sobre “Cidadania e a luta pela terra”.

E pra criançada que perdeu as duas transmissões destinadas à comemoração do Dia das Crianças, ainda é possível assistir às gravações que permanecem no canal do TPI. No dia 12 aconteceu o recital "Poemas para crianças", com a atriz e diretora Tânia Barbosa declamando poesias escritas especialmente para as crianças. foram textos de Ruth Rocha, Cecília Meireles, Rosana Rios, Pablo Neruda, Vinícius de Morais, José Paulo Paes e outros autores incríveis. No dia seguinte, 13 de outubro, foi ao ar um especial do quadro “Recontando Histórias Populares”, com as histórias “A casa, a Onça e a Coelha” e “Flok, o cachorrinho brigão”, nos quais Tânia Barbosa, usando recursos de filtros e animação, reconta com um novo olhar as histórias que encantaram gerações, abrindo espaço para a diversidade. Ambos os vídeos permanecem disponíveis para o público.

Para acompanhar a programação virtual do TPIFLIX, o canal do Teatro Popular de Ilhéus no Youtube, basta acessar o link youtube.com/teatropopulardeilheus, ou procurar pelo "TPIFLIX - o canal do Teatro Popular de Ilhéus" no aplicativo do Youtube.


A manutenção do Teatro Popular de Ilhéus é parcialmente financiada pelo Programa de Apoio a Ações Continuadas de Instituições Culturais do Fundo de Cultura da Bahia, através da Secretaria de Cultura do Estado, Secretaria da Fazenda, Governo do Estado da Bahia. Para sua atual instalação o grupo conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Ilhéus através da Secretaria Especial da Cultura.

quinta-feira, 7 de outubro de 2021

Teatro Popular de Ilhéus tem rica programação virtual para outubro


A Tenda caiu, mas o Teatro Popular de Ilhéus segue de pé - e vivo! Para o mês de outubro o grupo traz muitas atividades, por enquanto ainda não presenciais, e todas inteiramente gratuitas, transmitidas pelo TPIFLIX, o canal do Teatro Popular de Ilhéus no Youtube, sempre às 19 horas. São oito sessões de espetáculos, programação especial do mês das crianças com contações e poesias, além de quatro dias de debates com convidados especiais. 

Nos dias 8, 15, 22 e 29 de outubro, sextas-feiras, será exibida a performance audiovisual IntimIDADES. A montagem apresenta o relato de três atrizes sobre o tempo, o corpo e o sonho. A partir de cenas gravadas e também de cenas ao vivo, o público fará uma viagem na memória das três atrizes/personagens, sua relação com o corpo que se transforma no tempo, as lutas diárias contra o patriarcado e os seus sonhos. A performance busca refletir sobre os conflitos que o tempo nos impõe, abrindo uma janela num diálogo entre passado, presente e futuro. Com Tânia Barbosa, Iara Colina e Mãe Ilza Mukalê, o espetáculo tem dramaturgia coletiva, encenação de Romualdo Lisboa, músicas de Eloah Monteiro e letras de Romualdo Lisboa com arranjos de Pablo Lisboa.

Já nos sábados, dias 9, 16, 23 e 30 é a vez do espetáculo “Teodorico Majestade: a última Live de um Prefeito”. Nesta versão online, o Teatro Popular de Ilhéus tenta contaminar o audiovisual com teatro, e o elenco do espetáculo abre suas casas para receber o público. "Teodorico Majestade: a última live de um prefeito" é o espetáculo do Teatro Popular de Ilhéus que está em cartaz desde 2006. Teodorico, Prefeito de Ilha bela, está prestes a perder seu mandato depois que uma onda de denúncias de corrupção tomou conta dos noticiários. Até um grupo de teatro resolveu fazer um espetáculo sobre ele. Agora, está acuado, pressionado a assinar seu pedido de renúncia. Com Ely Izidro, Tânia Barbosa, Takaro Vítor, Cabeça Isidoro e Aldenor Garcia. Texto e direção de Romualdo Lisboa. Direção musical e composições de Cabeça Isidoro. Preparação de elenco de Luis Alonso-Aude.

Em comemoração ao mês das crianças, o TPI trás duas transmissões especiais para o público infantil. Para dia 12, a atriz e diretora Tânia Barbosa preparou um recital de poesias escritas especialmente para as crianças. São textos de Ruth Rocha, Cecília Meireles, Rosana Rios, Pablo Neruda, Vinícius de Morais, José Paulo Paes e outros autores incríveis. No dia seguinte, 13 de outubro, vai ao ar um especial do quadro “Recontando Histórias Populares”. Quem ainda não viu as histórias “A casa, a Onça e a Coelha” e “Flok, o cachorrinho brigão”, agora vai poder assistir as duas num só vídeo. Tânia Barbosa, usando recursos de filtros e animação, reconta com um novo olhar as histórias que encantaram gerações, abrindo espaço para a diversidade. Com trilha sonora composta e executada por Pablo Lisboa, montagem e edição de Ruan Lisboa, “Recontando Histórias Populares” provoca a criatividade das crianças e incentiva o gosto a leitura.

Para fechar a programação do mês, nos dias 25 a 28 de outubro o Teatro Popular de Ilhéus realiza mais uma edição do quadro “Improviso, oxente!” O projeto de debates do Teatro Popular de Ilhéus tem o objetivo de buscar conteúdo, compartilhando com o público, para a montagem de “Sonho de uma Noite de Verão”, que foi interrompida em março de 2020, em função da pandemia. O tema desta edição é “O Exercício da Cidadania”, e receberá quatro convidados muito especiais discutindo ao vivo o exercício da cidadania em algumas frentes vitais para a retomada das atividades neste cenário de pandemia. No dia 25, segunda-feira, Rui Rocha debate o tema “Cidadania e a luta pela preservação do meio ambiente”. Na terça, dia 26, Bebeto Galvão fala sobre “Cidadania e a luta por direitos trabalhistas, emprego e renda”. Já na quarta, dia 27, Iara Colina traz uma conversa sobre “Cidadania e a luta por equidade de gênero”. E fechando a programação, na quinta-feira, dia 28, Bernadete Souza reflete sobre “Cidadania e a luta pela terra”.

Toda a programação virtual do TPIFLIX, o canal do Teatro Popular de Ilhéus no Youtube, pode ser acompanhada pelo link youtube.com/teatropopulardeilheus.

Nova sede

Desde fevereiro de 2021 o TPI vem dialogando com os sócios remidos do Clube Social do Pontal para a doação do terreno onde funcionou entre 1949 e 1996 um dos clubes mais ativos da região. E agora nossa equipe está de casa nova, preparando sua estrutura para receber o público em novembro, até que seja possível lançar uma campanha nacional para a construção do novo Teatro Popular de Ilhéus - um espaço plural, dinâmico e popular. Em breve o grupo anunciará uma campanha para a reforma e qualificação do novo espaço.

A manutenção do Teatro Popular de Ilhéus é parcialmente financiada pelo Programa de Apoio a Ações Continuadas de Instituições Culturais do Fundo de Cultura da Bahia, através da Secretaria de Cultura do Estado, Secretaria da Fazenda, Governo do Estado da Bahia. Para essa instalação, o grupo conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Ilhéus através da Secretaria Especial da Cultura.

sexta-feira, 17 de setembro de 2021

TPIFLIX recebe o II Encontro de História Regional dia 22

Nesta quarta-feira, dia 22 de setembro, o canal do Teatro Popular de Ilhéus recebe o II Encontro de História Regional da Capitania de Ilhéus - Edição de Primavera. O evento acontecerá em dois turnos, das 09 às 11 horas e das 13 às 15 horas. Pela manhã, o professor Marcelo Henrique Dias apresenta a palestra "O Engenho de Santana dos Jesuítas - séculos XVII-XVIII. Já pela tarde, o professor André Rosa apresenta a palestra "Do declínio dos Engenhos ao surgimento das Fazendas de Cacau".

A mediação fica por conta de Vladmir Hughes e Romualdo Lisboa. O Evento é uma realização do Centro de Estudos e Pesquisa de Olivença e Ilhéus (CEPOI), com apoio do Museu da Capitania de Ilhéus, TV Uesc, Editus, Prefeitura de Ilhéus e Teatro Popular de Ilhéus. A transmissão acontecerá através do link youtube.com/teatropopulardeilheus.

A manutenção do Teatro Popular de Ilhéus é parcialmente financiada pelo Programa de Apoio a Ações Continuadas de Instituições Culturais do Fundo de Cultura da Bahia, através da Secretaria de Cultura do Estado, Secretaria da Fazenda, Governo do Estado da Bahia.

quinta-feira, 26 de agosto de 2021

Lona da Tenda TPI desaba; grupo necessita de abrigo urgente para salvar equipamentos

Foto: José Nazal

Na noite desta quinta-feira (26), um forte vento causou o colapso da lona onde até ano passado funcionava a Tenda Teatro Popular de Ilhéus, na Avenida Soares Lopes. Algumas pessoas que jogavam beach tenis se abrigavam da chuva quando a estrutura cedeu, mas todos saíram a tempo e ninguém se feriu. Antônio Conceição, conhecido como Palhaço Radiola, que é caseiro do terreno e mora em um trailer próximo à Tenda, não foi atingido, uma vez que seu veículo fica localizado ao fundo, e a estrutura cedeu para frente. Radiola também possui uma cadelinha de estimação, que também está a salvo. No entanto, todo o acervo e equipamentos do Teatro Popular de Ilhéus se encontravam debaixo da lona, e o grupo está neste momento tentando proceder com o resgate de seus pertences.

O Teatro Popular de Ilhéus, que neste mês completou 26 anos de existência, teve a Tenda como sede de suas atividades desde o ano de 2013. O grupo já vinha enfrentando dificuldades financeiras desde 2019 com os atrasos de pagamentos do recurso do Programa de Ações Continuadas de Instituições Culturais, que custeia parcialmente a manutenção de diversos espaços culturais na Bahia. Com a falta de recurso, o grupo não tinha condições de continuar a manutenção do espaço, cuja lona já se encontrava em estado avançado de deterioração devido à ação da maresia, do sol, das chuvas e do vento. Em 2020, com o fechamento imposto pela pandemia, a situação do TPI se agravou, culminando na entrega dos contêineres alugados, onde funcionavam a administração e os banheiros, e da lona, que também era alugada. O espaço é uma estrutura particular que pertence a Nelian Reis, artista da palhaçaria circense. O Teatro Popular de Ilhéus devolveu o espaço oficialmente em outubro de 2020, e se encontra sem sede deste então, com atividades apenas em formato virtual.

Apesar da devolução do espaço ter ocorrido há quase 1 ano, o Teatro Popular de Ilhéus manteve todo o seu acervo abrigado sob a lona por não encontrar outra alternativa para seu armazenamento. Se encontravam no local todos os seus figurinos, cenários, equipamentos de luz e som, documentos e ainda o Palco Rodante, uma estrutura criada pelo arquiteto alemão Carl von Hauenschild, especialista em espaços culturais. O grupo agora tenta salvar seu material, que tem grande valor histórico e cultural, e necessita urgentemente de um novo local seguro para armazená-los.

Fundado em 1995 por Équio Reis, o TPI se constitui num grupo de pesquisa de linguagem continuada que, a partir de suas criações, interfere positivamente na cultura brasileira, promovendo debates, encontros e estudos que contribuem para a formação cultural de seu público. A longevidade do Teatro Popular de Ilhéus é um indicador de um projeto de empreendedorismo cultural exitoso que tem um planejamento a longo prazo bastante sólido e em constante avaliação.

domingo, 15 de agosto de 2021

Teatro Popular de Ilhéus convida crianças a enviarem desenhos para seu próximo espetáculo

O Teatro Popular de Ilhéus está montando um novo espetáculo, que será lançado no mês de outubro em homenagem ao dia das crianças. Para incrementar o projeto, o grupo convida crianças de até 12 anos, de qualquer parte do Brasil, a enviar desenhos temáticos que farão parte da obra final.

A montagem é um musical infantojuvenil que aborda a temática dos "monstros", viajando no imaginário da criançada acerca desses personagens fictícios que representam os medos e os encantos da infância. Com direção de Tânia Barbosa e Luís Alonso-Aude e músicas de Cabeça Isidoro e Pablo Lisboa, o espetáculo será transmitido virtualmente, cuja data de estreia será anunciada nas redes sociais do Teatro Popular de Ilhéus.

Como parte do projeto "Meu monstro é um espetáculo", que pretende promover a interação com o público, o vídeo de abertura do espetáculo será composto por desenhos de monstros feitos pelo público infantil. Para participar, basta a criança desenhar um monstro de autoria própria em um papel, escrever o nome dele, que tipo de monstro ele é e o que ele faz, e pedir para o responsável digitalizar/fotografar e enviar em formato JPG, JPEG ou PNG para o e-mail monstrostpi@gmail.com até o dia 15 de setembro.

O Teatro Popular de Ilhéus é uma instituição cultural independente, parcialmente mantida pelo programa de Ações Continuadas de Instituições Culturais – uma iniciativa da Secretaria de Cultura da Bahia com recursos do Fundo de Cultura do Estado da Bahia, mecanismo que custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada.

quinta-feira, 12 de agosto de 2021

Revista Boca de Cena debate censura no Brasil e em Cuba e o teatro no Sertão baiano

 


A revista Boca de Cena, especializada em artes cênicas, ganha dois novos números inéditos a serem lançados no próximo dia 17 de agosto, às 16h, na página do Youtube do grupo Teatro Popular de Ilhéus, através do link youtube.com/teatropopulardeilheus, com reprise no Youtube da Revista Boca de Cena, do Oco Teatro Laboratório, do FilteBahia e em seus respectivos sites. O diretor teatral Luis Alonso-Aude está à frente da revista Boca de Cena como diretor geral e editor e a produção geral é de Rafael Magalhães. A publicação foi criada pelo coletivo Oco Teatro Laboratório e pelo FilteBahia

A Revista Boca de Cena traz desta vez dois temas importantes da atualidade: a primeira Teatro e Sertão (edição n4), onde estão publicadas críticas, ensaios e artigos sobre este tema, valorizando as artes cênicas para além do teatro soteropolitano e do recôncavo baiano. O responsável por esta edição é o diretor teatral Paulo Atto, convidado a fazer parte do processo editorial desta revista desde a sua primeira edição; e a segunda sobre Teatro e Censura (edição n5) que abre espaço para debates sobre liberdade de se expressar através da arte sem censura de qualquer tipo, especialmente a censura no Brasil e a censura atual em Cuba. Esta edição está sob a responsabilidade do diretor teatral Luis Alonso-Aude.

Ambas as revistas têm o processo gráfico a de programação visual assinados pela Editora do Teatro Popular de Ilhéus e contêm entrevistas, artigos, ensaios, críticas, textos dramáticos e a seção Memórias, que faz homenagens póstumas a artistas do teatro baiano. As revistas também têm um Suplemento, com um pequeno artigo de destaque em relação com o tema de cada revista. Elas serão distribuídas para grupos de teatro e instituições do interior baiano e de Salvador.

Mais sobre a Boca de Cena – A Boca de Cena é uma revista independente especializada em artes cênicas. Ela foi criada pelo Oco Teatro Laboratório - Festival Internacional Latino-Americano de Teatro da Bahia-FilteBahia-, em parceria com diversas universidades da América Latina e produtores de conhecimento, independentes, incluindo aqueles que geram teorias sobre a produção dos seus trabalhos.

A Revista Boca de Cena já realizou três edições de grande sucesso, com os temas 'Teatro e Crítica', 'Teatro de Grupo' e 'Teatro Negro' e agora retoma a valorização da escrita independente sobre o teatro baiano relacionada com o teatro latino-americano. As duas últimas edições tiveram o incentivo da Fundação Cultural do Estado da Bahia. A primeira edição teve o apoio econômico do grupo Oco Teatro Laboratório. As três primeiras edições da revista podem ser encontradas na íntegra no site www.revistabocadecena.com

O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

quarta-feira, 30 de junho de 2021

Live de comemoração ao Dia do Orgulho LGBTQIA+ bate recorde de público no canal do Teatro Popular de Ilhéus


Dia 28 de junho (última segunda-feira) foi comemorado o Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+, e para marcar a data o Teatro Popular de Ilhéus realizou uma edição especial do “Improviso, oxente!”, com o tema “Arte e Orgulho LGBTQIA+ em tempos pandêmicos”. O evento, que foi transmitido ao vivo no canal do grupo no Youtube, contou com a presença de mais de 20 artistas regionais e foi sucesso de público.

Os convidados do encontro compunham diversas áreas das artes, como música, dança, teatro, literatura, audiovisual e performances artísticas. Com apresentação de Haísa Lima, foram confirmados os artistas  Eloah Monteiro, Gabriela Maja, Brena Gonçalves, Tici Belmonte, Laís Marques, Lis Campos, Mari Gois, Carla Candace, Gael Figueiredo, Elson Rosário, Thiago Navillon, Márcia Mascarenhas, além das drags Tallyz Mann, Liszita Malaguenha, Mademoiselle Brigith, Don Leone, Holly Hepburn, Kiara Drag, Magdalena Del Valle, Sindel Blade, Jolie Bovier e Pandora Woolf. Durante a live também aconteceram diversas internvenções artísitcas, como exibição de clipes musicais, curta-metragem, performances, vídeo-poesia e apresentações ao vivo.

A transmissão foi sucesso de público, e bateu recorde de acessos, com 406 visualizações somente durante a transmissão, que deve quase 3 horas de duração, começando às 19 horas. Também houveram 444 mensagens no chat ao vivo, das quais foram lidas algumas ao vivo, garantindo a interação orgânica com o público. Muitas mensagens positivas foram enviadas pelos expectadores, que salientaram diversas vezes a importância do evento para a nossa região. A gravação da live está disponível no canal, e pode ser acessada através do link www.youtube.com/teatropopulardeilheus.

O sucesso desse evento marca a necessidade de se trazer visibilidade e representatividade para a comunidade LGBTQIA+ em nossa região, e a diversidade da classe artística traz isso em sua essência. O encontro reuniu representante de diferentes gerações, com variadas histórias sobre suas experiências de vida, além de reflexões sobre como a conjuntura dos diretos LGBTQIA+ se modificou com o passar do tempo. Dessa forma, esses artistas deixam registrada a importância de sua presença na região, promovendo mais acolhimento e respeito à diversidade.

O evento foi uma iniciativa em parceria com o Geni - Núcleo de Estudos de Gênero e Sexualidade, do IF Baiano (Campus Uruçuca)o GEDISEX - Grupo de Pesquisa e Práticas em Gênero, Diversidade e Sexualidade (IF Baiano/CNPq); e ainda com os coletivos ArtDrag Sul Bahia e Drags do Maktub. Foi possível ainda obter certificado de participação mediante preenchimento de um formulário de presença que foi disponibilizado durante a transmissão.

O Teatro Popular de Ilhéus é uma instituição cultural independente, atualmente mantida pelo programa de Ações Continuadas de Instituições Culturais – uma iniciativa da Secretaria de Cultura da Bahia com recursos do Fundo de Cultura do Estado da Bahia, mecanismo que custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada.