terça-feira, 15 de janeiro de 2019

Tenda recebe lançamento do livro “Memórias”, de Zé Dirceu


O Teatro Popular de Ilhéus receberá na próxima sexta-feira, dia 18, a partir das 18 horas, o lançamento regional do livro “Memórias – volume 1”, de Zé Dirceu. A autobiografia conta os bastidores inéditos de sua militância estudantil durante a ditadura militar, seu exílio e o treinamento para ser guerrilheiro em Cuba, a cirurgia plástica que mudou seu rosto, a vida clandestina no Brasil nos anos 1970, a volta à legalidade com a anistia, em 1979, e sua ascensão no Partido dos Trabalhadores, onde se tornou presidente e maior responsável pela eleição de Lula à presidência da República.
Nascido na cidade de Passa Quatro, em Minas Gerais e formado em direito pela PUC de São Paulo, Dirceu revela, pela primeira vez, segredos dos bastidores da luta política dentro do PT e do próprio governo, onde foi chefe da Casa Civil e provável sucessor de Lula, até ser abatido pelas denúncias do “Mensalão” – cujos episódios serão contados no segundo volume, previsto para ser lançado ainda este ano.
No primeiro volume de suas Memórias, Dirceu, que concederá autógrafos e um bate-papo com os presentes, expõe o que jamais foi dito sobre sua vida e sobre os principais líderes da política brasileira nos últimos 50 anos. Um livro imprescindível para se entender como foi a luta contra a ditadura militar, a redemocratização, a derrubada do presidente Fernando Collor, a oposição aos governos de Fernando Henrique Cardoso, a eleição de Lula e Dilma e o atual momento político do país.
O evento tem grande importância histórica e política, e ao sediá-lo o Teatro Popular de Ilhéus reafirma seu compromisso com o público e o conteúdo de suas obras. O TPI é um grupo independente apartidário, e além de ter uma longa trajetória de produção de espetáculos ligados à realidade da classe trabalhadora, traçando consistentes críticas políticas e sociais, também sempre abriu suas portas para diversos projetos externos, companhias visitantes, artistas locais e nacionais e demais eventos que sejam de interesse da sociedade.


Semana agitada na Tenda

Além das apresentações já esperadas para o mês de janeiro, o Teatro Popular de Ilhéus adicionou quatro novos eventos na sua agenda cultural – todos ainda para esta semana, incluindo o lançamento do livro de Dirceu –, somando sete eventos em cartaz entre quarta-feira e domingo.
Logo nesta quarta-feira (16) o TPI recebe o músico Luiz Gabriel Lopes com o show “Areia e Água”, marcado para as 20 horas. Conhecido pelo seu trabalho na banda Graveola, Luiz Garbriel é cantor e compositor de carreira sólida, tendo passado por todo o Brasil e por diversos países da Europa e América Latina. Lançou seis discos com o Graveola e mais três em carreira solo, que podem ser conferidos em todas as plataformas digitais. Links disponíveis no site oficial do cantor: lglopes.com.
No dia 17 (quinta-feira), às 19 horas, acontece mais um Cine Incidental, uma experiência cinematográfica com música ambiente. Será exibido o curta-metragem do cinema mudo “Dia de Pagamento”, de Charles Chaplin, combinando cinema e música através de uma trilha original executada ao vivo. Os músicos Cabeça Isidoro e Pablo Lisboa utilizam vários instrumentos convencionais e não convencionais de harmonia e percussão, proporcionando ao público uma experiência singular. O evento tem entrada franca, com contribuição na modalidade “pague o quanto quiser”.
No mesmo dia, em sequência, o ator e diretor Gilberto Morais volta ao palco com o consagrado espetáculo “Carranca”, um divertido e poético monólogo sobre as esculturas de madeira que ficavam nas proas dos barcos dos pescadores com o objetivo de espantar os maus espíritos, afugentar mal olhado e proteger os barqueiros. Durante a apresentação acontece a já tradicional degustação de Cachaça Rio do Engenho (para maiores de 18 anos), e a modalidade de contribuição também é “pague o quanto quiser”.
No dia seguinte ao lançamento do livro “Memórias”, acontece a segunda exibição da montagem “Boi da Cara Preta”, cuja grande reestreia ocorreu na última quinta-feira, dia 10 de janeiro, com absoluto sucesso de público. As próximas exibições estão marcadas para os dias 19 e 26 (sábados), sempre às 19 horas. A peça é um musical infanto-juvenil inspirado no bumba-meu-boi de “Seu Oreco”, do povoado ilheense de Urucutuca. Passeando pelo imaginário nordestino, a nova montagem acrescenta tempero moderno e dinâmico ao roteiro, dando novos ritmos a elementos tradicionais. Os atores e atrizes são como brincantes, que utilizam o colorido e brilhos típicos das festas populares e não apenas atuam, mas cantam, dançam e executam a trilha sonora ao vivo, tocando instrumentos tradicionais e alternativos. O boneco do “Boi” também é novo, montado pelo bonequeiro Shicó do Mamulengo especialmente para a nova versão. O texto é de Romualdo Lisboa, direção musical de Cabeça Isidoro e direção geral de Tânia Barbosa. A estreia da montagem original ocorreu em dezembro de 2007, e em 2019 retorna ganhando novo elenco, roteiro e canções.
Na manhã deste domingo (20) o grupo “MeditAr Livre” estará às 10 horas ao lado da Tenda TPI para um encontro que tem o objetivo de oferecer a prática da meditação, yoga, reike e danças circulares, oferecendo bem-estar e qualidade de vida aos praticantes. O encontro é gratuito, livre e aberto a toda a comunidade. Recomenda-se o uso de roupas leves e que se traga uma canga ou esteira e um lanche leve (como frutas) para compartilhar.
No final da tarde do domingo acontece ainda o show da Orquestra Gongombira de Percussão, direto do terreiro de Matamba Tombenci Neto para o palco da tenda com o projeto “Otambí de Verão 2019”. A Orquestra Gongombira carrega em seu repertório diversas influências musicais afro e latinas, como o Ijexá, Samba Reggae, Merengue, Salsa, Reggae, Samba de Roda, Pagode Baiano, Adarum, Cabila, entre outros ritmos do candomblé da Bahia. Com as novas músicas de trabalho que são “a cara da Bahia”, o grupo promete agitar o verão de Ilhéus com muita alegria e diversidade musical. Além da Orquestra Gongombira, o Otambí contará também com outros artistas convidados.
Por fim, na semana seguinte, que será encerrada com a terceira apresentação do “Boi” no dia 26 (sábado), o bonequeiro Shicó do Mamulengo retorna à tenda com sua contação marcada para as 19 horas do dia 25 (sexta). O espetáculo tem linguagem popular e cômica, e interage com a plateia. O ator se desdobra em muitos personagens para contar a história de um fazendeiro (João Redondo) e seu filho adotivo (Baltazar), um rapaz ingênuo e atrapalhado que vive situações engraçadas no decorrer do espetáculo. Nascido Francisco de Assis, em Açú-RN, Shicó é bonequeiro há 12 anos, além de ator, figurinista, aderecista, cenógrafo e poeta. A montagem é uma grande homenagem à cultura brasileira e suas raízes afro-lusitanas.
Localizada na abertura do circuito da ExpoIlhéus, a Tenda TPI compõe a programação especial de verão da cidade e é uma das principais opções culturais para os finais de semana ilheenses. Os ingressos dos eventos pagos podem ser adquiridos na Livraria Papirus (parceira da Tenda TPI), no site do TPI (www.teatropopulardeilheus.com.br/programacao) ou na própria bilheteria do evento por R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). O TPI lembra ainda que aqueles que não têm direito à meia-entrada podem adquirir o Cartão Fidelidade TPI, que por apenas R$ 25 anuais dá o direito à meia entrada em todos os espetáculos da companhia.
O Teatro Popular de Ilhéus é uma instituição cultural mantida pelo programa de Ações Continuadas de Instituições Culturais – uma iniciativa da Secretaria de Cultura da Bahia com recursos do Fundo de Cultura do Estado da Bahia, mecanismo que custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada.

segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

Nova versão do Boi da Cara Preta estreia essa semana na Tenda



Após o sucesso da primeira apresentação do ano ocorrida no último domingo (6) – o show “Matheus Luna homenageia a música brasileira”, com o talentoso músico especialista em violão de 7 cordas que trouxe ao palco um repertório de compositores nacionais consagrados –, o Teatro Popular de Ilhéus recebe nesta semana mais três espetáculos que ocorrerão quinta, sexta e sábado (dias 10, 11 e 12), incluindo a peça “Boi da Cara Preta” em versão inédita.
A grande “reestreia” do espetáculo “Boi da Cara Preta” ocorrerá no dia 10 de janeiro (quinta), com próximas exibições marcadas ainda para os dias 19 e 26 (sábados), sempre às 19 horas. A montagem é um musical infanto-juvenil inspirado no bumba-meu-boi de “Seu Oreco”, do povoado ilheense de Urucutuca. Passeando pelo imaginário nordestino, a nova montagem acrescenta tempero moderno e dinâmico ao roteiro, dando novos ritmos a elementos tradicionais. Os atores e atrizes são como brincantes, que utilizam o colorido e brilhos típicos das festas populares e não apenas atuam, mas cantam, dançam e executam a trilha sonora ao vivo, tocando instrumentos tradicionais e alternativos. O boneco do “Boi” também é novo, montado pelo bonequeiro Shicó do Mamulengo especialmente para a nova versão. O texto é de Romualdo Lisboa, direção musical de Cabeça Isidoro e direção geral de Tânia Barbosa. A estreia da montagem original ocorreu em dezembro de 2007, e em 2019 retorna ganhando novo elenco, roteiro e canções.
Além do “Boi”, a Tenda TPI recebe ainda mais dois espetáculos nesta semana. No dia 11 (sexta-feira), às 19 horas, acontece o Cine Incidental, uma experiência cinematográfica com música ambiente. Será exibido o curta-metragem do cinema mudo “Dia de Pagamento”, de Charles Chaplin, combinando cinema e música através de uma trilha original executada ao vivo. Os músicos Cabeça Isidoro e Pablo Lisboa utilizam vários instrumentos convencionais e não convencionais de harmonia e percussão, proporcionando ao público uma experiência singular. O evento tem entrada franca, com contribuição na modalidade “pague o quanto quiser”, e terá ainda sua segunda sessão no dia 17 (quinta-feira).
Desfechando a agenda semana, o bonequeiro Shicó do Mamulengo retorna à tenda dessa vez com três apresentações nos dias 12 (sábado), 18 e 25 (sextas-feiras). A contação marcada para as 19 horas tem linguagem popular e cômica, e interage com a plateia. O ator se desdobra em muitos personagens para contar a história de um fazendeiro (João Redondo) e seu filho adotivo (Baltazar), um rapaz ingênuo e atrapalhado que vive situações engraçadas no decorrer do espetáculo. Nascido Francisco de Assis, em Açú-RN, Shicó é bonequeiro há 12 anos, além de ator, figurinista, aderecista, cenógrafo e poeta. A montagem é uma grande homenagem à cultura brasileira e suas raízes afro-lusitanas.
Localizada na abertura do circuito da ExpoIlhéus, a Tenda TPI compõe a programação especial de verão da cidade e é uma das principais opções culturais para os finais de semana ilheenses. Os ingressos podem ser adquiridos na Livraria Papirus (parceira da Tenda TPI), no site do TPI (www.teatropopulardeilheus.com.br/programacao) ou na própria bilheteria do evento por R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). A classificação de todos as apresentações desta semana é livre. O TPI lembra ainda que aqueles que não têm direito à meia-entrada podem adquirir o Cartão Fidelidade TPI, que por apenas R$ 25 anuais dá o direito à meia entrada em todos os espetáculos da companhia.
O Teatro Popular de Ilhéus é uma instituição cultural mantida pelo programa de Ações Continuadas de Instituições Culturais – uma iniciativa da Secretaria de Cultura da Bahia com recursos do Fundo de Cultura do Estado da Bahia, mecanismo que custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada.

quarta-feira, 2 de janeiro de 2019

Show de Matheus Luna abre a programação de janeiro na Tenda

Foto: Élcio Paraíso
  
O Teatro Popular de Ilhéus lançou nesta semana sua programação para janeiro, que contará com shows musicais, espetáculos teatrais e sessões cinematográficas. A primeira apresentação do ano acontece neste domingo, dia 6, e recebe o músico Matheus Luna, violonista ilheense radicado em Belo Horizonte (MG). Contando com a participação de convidados especiais da região, o show está marcado para as 19 horas e traz para o público um repertório com músicas autorais e releituras de compositores como Milton Nascimento, Dori Caymmi e Vinícius de Morais.
Formado na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), o músico já foi ganhador do Prêmio Jovem Instrumentista BDMG 2017, Finalista do BDMG instrumental 2018 e tem um EP gravado intitulado “Lua Dina”.  Luna é um assíduo investigador da música brasileira, com pesquisa científica pela UFMG sobre o violão de sete cordas. Neste trabalho, apresenta para o público músicas instrumentais com arranjos bem elaborados com influências do jazz, da bossa nova, do soul e da música moderna.
No dia 10 (quinta-feira) vai em cena a primeira apresentação do mês do espetáculo “Boi da Cara Preta”, que também será exibido nos dias 19 e 26 (sábados), sempre às 19 horas. A montagem é um musical infanto-juvenil inspirado no bumba-meu-boi de “Seu Oreco”, do povoado ilheense de Urucutuca. Passeando pelo imaginário nordestino, a montagem acrescenta tempero moderno e dinâmico, dando novos ritmos a elementos tradicionais. Os atores e atrizes são como brincantes, que utilizam o colorido e brilhos típicos das festas populares e não apenas atuam, mas cantam, dançam e executam a trilha sonora ao vivo, tocando instrumentos tradicionais e alternativos. O texto é de Romualdo Lisboa, direção musical de Cabeça Isidoro e direção geral de Tânia Barbosa. A estreia da montagem foi em dezembro de 2007, e volta em 2019 ganhando novos personagens e canções.
Nos dias 11 (sexta-feira) e 17 (quinta-feira), às 19 horas, acontece o Cine Incidental, uma experiência cinematográfica com música ambiente. Será exibido o curta-metragem do cinema mudo “Dia de Pagamento”, de Charles Chaplin, combinando cinema e música através de uma trilha original executada ao vivo. Os músicos Cabeça Isidoro e Pablo Lisboa utilizam vários instrumentos convencionais e não convencionais de harmonia e percussão, proporcionando ao público uma experiência singular. O evento tem entrada franca, com contribuição na modalidade “pague o quanto quiser”.
O bonequeiro Shicó do Mamulengo retorna à tenda dessa vez com três apresentações nos dias 12 (sábado), 18 e 25 (sextas-feiras). A contação marcada para as 19 horas tem linguagem popular e cômica, e interage com a plateia. O ator se desdobra em muitos personagens para contar a história de um fazendeiro (João Redondo) e seu filho adotivo (Baltazar), um rapaz ingênuo e atrapalhado que vive situações engraçadas no decorrer do espetáculo. Nascido Francisco de Assis, em Açú-RN, Shicó é bonequeiro há 12 anos, além de ator, figurinista, aderecista, cenógrafo e poeta. A montagem é uma grande homenagem à cultura brasileira e suas raízes afro-lusitanas.
A Tenda TPI recebe ainda o Projeto Otambí de Verão 2019, marcado para dia 20 (domingo), às 17 horas. O Otambí, sigla que abrevia a “Orquestra de Tambores Mãe Ilza”, foi criado em 2010, e desde então faz parte do calendário do verão ilheense, tendo como anfitriã A Orquestra Gongombira de Percussão, grupo formado por percussionistas e músicos ligados ao Terreiro de Matamba Tombenci Neto, em Ilhéus.
A Orquestra Gongombira carrega em seu repertório diversas influências musicais afro e latinas, como o Ijexá, Samba Reggae, Merengue, Salsa, Reggae, Samba de Roda, Pagode Baiano, Adarum, Cabila, entre outros ritmos do candomblé da Bahia. Recentemente o projeto lançou duas novas músicas de trabalho para este verão: “Mina Hora”, de composição de Marinho Rodrigues, e uma nova versão de “Vá Se Benzer”, gravada por Preta Gil no início do ano, interpretada dessa vez por Jamena Lorrana. O show ainda contará com participações de convidados especiais.
Localizada na abertura do circuito da ExpoIlhéus, a Tenda TPI compõe a programação especial de verão da cidade e é uma das principais opções culturais para os finais de semana ilheenses. Os ingressos podem ser adquiridos na Livraria Papirus (parceira da Tenda TPI), no site do TPI (www.teatropopulardeilheus.com.br/programacao) ou na própria bilheteria do evento por R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). O TPI lembra ainda que aqueles que não têm direito à meia-entrada podem adquirir o Cartão Fidelidade TPI, que por apenas R$ 25 anuais dá o direito à meia entrada em todos os espetáculos da companhia.
O Teatro Popular de Ilhéus é uma instituição cultural mantida pelo programa de Ações Continuadas de Instituições Culturais – uma iniciativa da Secretaria de Cultura da Bahia com recursos do Fundo de Cultura do Estado da Bahia, mecanismo que custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada.

segunda-feira, 24 de dezembro de 2018

Tenda desfecha 2018 com dois shows neste fim de semana

  
Encerrando a programação especial de dezembro, que contou com espetáculos todas as sextas e sábados, o Teatro Popular de Ilhéus fecha o ano com chave de ouro trazendo duas apresentações musicais para o último final de semana de 2018. Localizada na abertura do circuito da ExpoIlhéus, a Tenda TPI também compõe a programação especial de verão da cidade e é uma das principais opções culturais para os finais de semana ilheenses.
Nesta sexta-feira, dia 28, o ator e músico Cabeça Isidoro traz de volta ao palco da Tenda o espetáculo “Ensaio sobre uma tal democracia” com um repertório de 15 músicas que surgiram da inquietação provocada pela crise política, social e moral no Brasil. O artista, que recentemente lançou um DVD de seu show intitulado “Amor, política e ozadia”, já completa 20 anos de carreira no teatro e na música, sempre trazendo temáticas políticas para as suas provocantes performances. A montagem desta sexta teve sua estreia em 2016 e conta ainda com a participação especial de Jahgga, percussionista da banda O’Quadro. A classificação recomendada é 14 anos.

No dia seguinte (sábado, 29) tem mais música com o show “Rodando a Bossa Nova na Tenda”, uma montagem do músico Franklin Costa. Professor de violão e também ator, Franklin teve sua formação musical na Escola Técnica Estadual de Criatividade Musical de Recife/PE. O espetáculo é um recital de violão e voz na formação característica do movimento musical iniciado no Brasil na década de 50 que se expandiu mundo afora: um banquinho e um violão. Através de canções consagradas e pouco conhecidas, o violonista contará a história da Bossa Nova trazendo suas raízes africanas e afro-americanas através de estilos percussores, como o samba, desenhando assim a marcante brasilidade e baianidade desse gênero musical. A classificação do evento é livre.
Marcados para começarem às 20 horas, ambos os shows já possuem ingressos à venda que podem ser adquiridos na Livraria Papirus (parceira da Tenda TPI) e no site do TPI (www.teatropopulardeilheus.com.br/programacao), bem como na bilheteria do evento, por R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia). O TPI lembra ainda que aqueles que não têm direito à meia-entrada podem adquirir o Cartão Fidelidade TPI, que por apenas R$ 25 anuais dá o direito à meia entrada em todos os espetáculos da companhia.
O Teatro Popular de Ilhéus é uma instituição cultural mantida pelo programa de Ações Continuadas de Instituições Culturais – uma iniciativa da Secretaria de Cultura da Bahia com recursos do Fundo de Cultura do Estado da Bahia, mecanismo que custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada.

quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

Há 12 anos em cartaz, Teodorico Majestade faz última apresentação do ano na Tenda



Um prefeito prestes a perder seu mandato por conta de denúncias que vieram a público. Num contexto como esse, poderia a arte ter um papel político? O espetáculo “Teodorico Majestade: as últimas horas de um prefeito” é uma sátira política em formato de cordel, construindo um protesto bem-humorado que mostra o lado ridículo dos bastidores da política corrupta e que, ao mesmo tempo, conclama o povo a exercer seus direitos de cidadão.
Em cartaz há 12 anos – desde 26 de novembro de 2006 – a montagem surgiu como um posicionamento do Teatro Popular de Ilhéus diante dos escândalos ocorridos na cidade. No ano seguinte, a repercussão da peça contribuiu para a mobilização da população ilheense contra o então prefeito Valderico Reis, tendo histórica importância na cassação de seu mandato.
Inspirada na literatura de cordel, na xilogravura e no cancioneiro nordestino, a peça narra o drama do prefeito da fictícia Ilha Bela, acuado em seu gabinete, cercado pela população revoltada com suas trapaças. Boca-suja e beberrão, o alcaide se vê abandonado pelos seus comparsas e, num ato de desespero para se manter no poder, tenta negociar com o povo, que pede sua cassação imediata. O espetáculo tem texto e direção de Romualdo Lisboa e conta com Ely Izidro no papel do prefeito “Teodorico Majestade”; Takaro Vítor como “Malote”; Tânia Barbosa como “Maria Antônia das Armas; Aldenor Garcia como “Gersinaldo Quina”; e Cabeça Isidoro como o “Cantador”.
A comédia recebeu duas indicações ao Prêmio Braskem de Teatro em 2008, e já rodou diversas cidades do interior da Bahia e na capital do estado, além de ter se apresentado em palcos do Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santo, Paraná, Alagoas e Pernambuco. Participou, a convite da Cooperativa Paulista de Teatro, da VI Mostra Latino-Americana de Teatro de Grupo em 2011. No mesmo ano, se tornou tema de documentário que, dirigido por Elson Rosário, foi selecionado para um edital da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura. A relevância dessa montagem chegou ainda ao território acadêmico, se tornando objeto de uma dissertação de mestrado apresentada em 2017 pela comunicóloga e professora Karoline Vital no Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Estadual de Santa Cruz.
Teodorico Majestade retorna ao seu palco de origem para a última exibição do ano, que ocorrerá na próxima sexta-feira (21), às 20 horas, na Tenda do Teatro Popular de Ilhéus. A classificação é 14 anos, e os ingressos, que custam R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia), já estão à venda na Livraria Papirus, no site do TPI (www.teatropopulardeilheus.com.br/programacao), podendo ser obtidos ainda na bilheteria do evento. O TPI lembra ainda que aqueles que não têm direito à meia-entrada podem adquirir o Cartão Fidelidade TPI, que por apenas R$ 25 anuais dá o direito à meia entrada em todos os espetáculos da companhia.

No dia seguinte tem mais


No mesmo final de semana a Tenda TPI recebe ainda o espetáculo “Carranca”, de Gilberto Moraes, da Cia. de Teatro Mistura, de Ibotirama/BA. O ator interpreta Zé das Carrancas, personagem pitoresco e engraçado que canta e declama seus versos e rimas sobre a magia das carrancas - esculturas de madeira que ficavam nas proas dos barcos dos pescadores com o objetivo de espantar os maus espíritos, afugentar mal olhado e proteger os barqueiros.
Ainda estão presentes no imaginário popular dos ribeirinhos, esses objetos, rodeados em mistérios, são elementos de cena desse espetáculo que retorna mais uma vez à Tenda Teatro Popular de Ilhéus, sendo exibido neste sábado (22), às 20h. A classificação da peça é 18 anos. Os ingressos custam R$ 30 e R$ 15, e também podem ser adquiridos na Livraria Papirus, no site do TPI e na bilheteria do evento.
O Teatro Popular de Ilhéus é uma instituição cultural mantida pelo programa de Ações Continuadas de Instituições Culturais – uma iniciativa da Secretaria de Cultura da Bahia com recursos do Fundo de Cultura do Estado da Bahia, mecanismo que custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

“Mãe Coragem” e “Senhora Carrar” reafirmam a importância política do teatro


Duas mulheres fortes em meio à guerra. “A mãe que protege os filhos em toda guerra há de lutar”, diz a música de “Os fuzis da Senhora Carrar” sobre a mãe viúva que tenta manter a integridade dos filhos em meio à Guerra Civil Espanhola. A montagem feita pelo Teatro Popular de Ilhéus alterna entre história passada e história presente ao contrapor diálogos e músicas com projeções de imagens de guerras urbanas. Enquanto isso, “Uma certa Mãe Coragem” traz o relato de uma mãe que, vendendo de tudo com sua carroça, acompanha a Guerra dos Trinta Anos ocorrida numa Europa dividida entre católicos e protestantes. O espetáculo tem figurinos e cenário criados por Shicó do Malulengo, além de homenagear Mãe Ilza Makulê.
Compondo a programação especial de verão que integra o calendário cultural de fim de ano da cidade, o espetáculo “Uma certa Mãe Coragem” foi em cena na sexta-feira (07), e “Os fuzis da Senhora Carrar” no sábado (08), na Tenda Teatro Popular de Ilhéus. Ambos fazem parte de um projeto do TPI intitulado “Trilogia da Guerra”, cujas montagens são inspiradas em obras do dramaturgo alemão Bertolt Brecht. “Os fuzis da Senhora Carrar” está em cena há cerca de um ano, foi sucesso de público em 2018 e corresponde à primeira parte da trilogia. “Uma certa Mãe Coragem” estreou em outubro com casa cheia e equivale à segunda parte do projeto. O terceiro está por vir: “Santa Joana dos Matadouros” tem previsão de estreia para meados de 2019.
A Trilogia da Guerra preparada pelo Teatro Popular de Ilhéus, cujas obras são sempre críticas, inteligentes e atuais, traz contundentes análises sócio-políticas sobre as relações humanas ao remontar momentos históricos pela perspectiva de personagens que representam o povo que sofre as consequências da guerra enquanto luta para sobreviver em meio a ela. Ao debater valores, afetos, questões de classe e historicidade, o projeto se faz muito relevante diante do momento político em que vivemos hoje, cumprindo assim o papel que a arte tem de levar as pessoas à reflexão.


Teatro Popular de Ilhéus apresenta dois espetáculos por semana em dezembro

A exibição das duas montagens inspiradas na obra de Bertolt Brecht fecha com chave de ouro a segunda semana de programação de dezembro no TPI, que segue ainda com dois espetáculos por semana até o fim do ano. As sextas e sábados deste mês vão contar com shows musicais, espetáculos consagrados da companhia e apresentações de convidados especiais.
Já nesta sexta-feira, dia 14, o ator, músico e compositor Cabeça Isidoro fará seu show de lançamento do DVD “Amor, Política e Ozadia” marcado para começar às 20 horas na Tenda. A gravação do DVD ocorreu no dia 06 de setembro no Teatro Municipal com grande sucesso de público. O show de lançamento agora traz um formato mais dançante, em que o picadeiro da Tenda TPI ficará livre para que o público possa curtir a apresentação com ainda mais energia que antes. A performance, dirigida por Iara Colina, tem um repertório autoral que retrata e analisa nossa sociedade de forma lúdica, irreverente e irônica. Cabeça traz ainda a participação do quarteto “Os inflamáveis”, composto por Pablo Lisboa, Guilherme Pessoa, Lula Soares e Danilo Bass. Aqueles que adquirirem o ingresso “inteira” terão ainda direito ao DVD físico.
No dia 15 (sábado) ocorre a estreia do espetáculo “Travessias... ciclos transatlânticos”, do coletivo Afro (en)cena em sua primeira experimentação cênica. A montagem traz questionamentos sobre a diáspora africana no Brasil, pensando as questões do corpo negro, ancestralidade, história e resistência. O espetáculo tem entrada gratuita com “passagem de chapéu” na modalidade “Pague o quanto quiser”. O valor arrecadado contribuirá para a construção da nova arquibancada da Tenda Teatro Popular de Ilhéus.
Na sexta-feira seguinte (21), vai em cena a famosa peça “Teodorico Majestade: as últimas horas de um prefeito”. Em cartaz há mais de 12 anos, o espetáculo conta histórias do “jogo político” com um diálogo leve e bem humorado escrito em cordel. O texto fala sobre a responsabilidade e exercício de cidadania de uma população que se revoltou contra Teodorico Majestade, um prefeito corrupto que entregou Ilha Bela ao caos. O espetáculo teve papel importante na mobilização da população de Ilhéus para a cassação do então Prefeito Valderico Reis, em 2007.
Dia 22 (sábado) é a vez do espetáculo “Carranca”, da Cia. de Teatro Mistura, de Ibotirama. A montagem interpretada por Gilberto Morais está de volta ao TPI trazendo Zé das Carrancas, personagem pitoresco e engraçado que canta e declama seus versos e rimas sobre a história das tradicionais esculturas de madeira que ficam nas proas dos barcos, com o objetivo de espantar maus espíritos, afugentar mal olhado e proteger os barqueiros.
Na última semana de dezembro, no dia 28 (sexta) teremos mais música com Cabeça Isidoro, dessa vez trazendo o espetáculo “Ensaio sobre uma tal democracia”. A montagem, que estreou em 2016, apresenta um repertório de 15 músicas que surgem da inquietação provocada pela crise política, social e moral no Brasil. O espetáculo conta ainda com a participação de Jahgga, percussionista da banda O’Quadro.
E para encerrar o ano com chave de ouro, no sábado (29) o musicista Franklin Costa apresenta seu show “Rodando a Bossa Nova na Tenda” – um recital de voz e violão que passeia pela história da música brasileira. O músico, que estudou na Escola Técnica Estadual de Criatividade Musical de Recife (PE), promete uma roda de samba-bossa-nova que conta a história do gênero em um espetáculo cheio de nostalgia e energia.
Os ingressos dos espetáculos custarão R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia), e podem ser adquiridos na Livraria Papirus, na bilheteria do Teatro Popular de Ilhéus e no site teatropopulardeiheus.com.br/programacao. O TPI também lembra que aqueles que não têm direito à meia entrada ainda podem adquirir o Cartão Fidelidade TPI, que por uma anuidade de apenas R$ 25 garante a meia entrada do usuário em todos os espetáculos da tenda durante o ano.
O Teatro Popular de Ilhéus é uma instituição cultural mantida pelo programa de Ações Continuadas de Instituições Culturais – uma iniciativa da Secretaria de Cultura da Bahia com recursos do Fundo de Cultura do Estado da Bahia, mecanismo que custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada.

terça-feira, 4 de dezembro de 2018

TENDA APRESENTA OBRAS DA TRILOGIA DA GUERRA ESTE FINAL DE SEMANA COM PASSAPORTE ESPECIAL

Em meio ao turbulento cenário que enfrentamos hoje no país, dois dos maiores espetáculos da história do Teatro Popular de Ilhéus serão apresentados este final de semana trazendo importantes reflexões políticas e sociais. As peças “Uma certa Mãe Coragem” e “Os fuzis da Senhora Carrar”, inspiradas nas obras do alemão Bertolt Brecht, vão em cena nesta sexta-feira (07) e sábado (08), respectivamente, dando início à programação especial de verão da Tenda.

O espetáculo “Uma certa Mãe Coragem” compõe a segunda parte da chamada “Trilogia da Guerra” e traz um relato sobre a Guerra dos Trinta Anos, ocorrida entre 1618 e 1648 na Europa dividida entre católicos e protestantes. Mãe Coragem acompanha a Guerra com sua carroça, vendendo de tudo. Com cenário, figurinos e adereços criados por Shicó do Mamulengo, texto de Paulo Atto, direção musical de Antônio Melo e direção de Romualdo Lisboa, a peça é inspirada na obra “Mãe Coragem e seus filhos” escrita por Bertolt Brecht em 1941. A montagem ainda faz uma homenagem a Mãe Ilza Mukalê, uma “mãe coragem” que, assim como a personagem fictícia, teve que criar seus filhos sozinha.

Enquanto isso, “Os fuzis da Senhora Carrar” corresponde à primeira parte da Trilogia da Guerra, narrando a história de Teresa Carrar, uma mãe viúva que tenta manter a integridade dos filhos em meio à Guerra Civil Espanhola (1936-1939). Escrita em 1937, a peça de Brecht provoca o público a pensar sobre a estupidez de qualquer guerra, a desumanização e a impotência a que são submetidas a sociedade. A obra é traduzida por Antônio Bulhões, dirigida por Romualdo Lisboa, tem direção musical de Cabeça Isidoro, e faz uma relação com as guerras urbanas que vivemos diariamente.

Ambas as apresentações estão marcadas para começar às 19 horas, e os ingressos custam R$ 30 a inteira e R$ 15 a meia entrada. No entanto é possível garantir um desconto especial adquirindo o passaporte dos dois dias de espetáculo por R$ 50 a inteira e R$ 25 a meia. Além disso, o público frequentador da Tenda TPI e até mesmo o turista que visitará a cidade durante o verão poderá adquirir o Cartão Fidelidade TPI e pagar meia em qualquer espetáculo da Tenda. O Cartão pode ser solicitado na bilheteria do local por apenas R$ 25,00 e será válido por 1 ano.

A terceira e última parte da trilogia da guerra está prevista para estrear no meio do próximo ano, inspirada na obra “A Santa Joana dos Matadouros” de Brecht – mas ainda para 2018 a Tenda TPI preparou uma programação especial de fim de ano, com espetáculos todas as sextas e sábados do mês de dezembro que podem ser conferidos no site www.teatropopulardeilheus.com.br. E o espectador que quiser assistir aos espetáculos do mês de dezembro, ao pagar meia-entrada através o Cartão Fidelidade TPI, economizará R$ 105,00 para ver todas as apresentações em cartaz – além de continuar pagando apenas meia até o final da anuidade, quando poderá renovar o cartão e continuar obtendo o desconto nos ingressos do Teatro Popular de Ilhéus.

domingo, 25 de novembro de 2018

ENCONTRO AFRO BAIANO DE ARTES MOVIMENTA ILHÉUS NESTE FIM DE SEMANA



        



    Artistas da capital e do interior da Bahia se reúnem este final de semana, no município de Ilhéus, para o 1° Encontro Afro Baiano de Artes. A atividade é uma ação coletiva que trata sobre temáticas ligadas ao africano em diáspora nas terras brasileiras e suas construções artísticas.
            Leno Sacramento, membro do Bando de Teatro Olodum (Salvador), fará a apresentação do seu solo “En(Cruz)Ilhada” no domingo (02/12), às 18h. Ele ressalta o caráter coletivo do encontro: “Tudo surgiu da necessidade em comum que nós, artistas baianos e afrodescendentes, temos de nos unir para conversar sobre o papel da arte como espaço de resistência. Pra mim é uma grande honra estar em Ilhéus, nesta atividade que, além das apresentações, possibilitará a integração entre artistas e público no bate papo e nas oficinas”.
            A ação faz parte da programação da Tenda Teatro Popular de Ilhéus no mês do Novembro Negro. Com início no dia 30/11 (sexta-feira), o 1° Encontro Afro Baiano de Artes – Edição Ilhéus terá, ainda, o show dos artistas locais Cijay e Banda Percussiva Dilazenze, além de oficinas, bate papo e uma apresentação de dança com a performer Nanda Rachell, em seu solo “IdEntidade”.
            Mais informações no site www.teatropopulardeilheus.com.br.


PROGRAMAÇÃO COMPLETA DO 1° ENCONTRO AFRO BAIANO DE ARTES:


30/11 – sexta feira

19h - Show de abertura com Cijay (Ilhéus/Ba) e Banda Percussiva Dilazenze (Ilhéus/Ba)

Local: Tenda teatro popular de Ilhéus – Avenida Soares Lopes.

Ingressos: R$ 12,00 inteira / R$ 6,00


01/12 – sábado


09 às 12h – oficina de dança com Nanda Rachell

Local: Tenda teatro popular de Ilhéus – Avenida Soares Lopes.

 (Inscrições no local – valor R$30,00)



19h  - Solo de dança: "IdEntidade", com Nanda Rachell (Salvador/Ba)

Gratuito.

19h30 – Bate-Papo cultural. (Tema: A arte como espaço de resistência política)

Gratuito.
 
Local: Tenda teatro popular de Ilhéus – Avenida Soares Lopes.


02/12 – Domingo

09h às 12h – oficina de teatro com Leno Sacramento (Bando de Teatro Olodum – Salvador/BA)

Local: Tenda teatro popular de Ilhéus – Avenida Soares Lopes.

 (Inscrições no local – valor R$30,00)



18h – Apresentação do monólogo En(Cruz)Ilhada, com Leno Sacramento (Bando de Teatro Olodum - Salvador/BA)

Ingressos: Inteira – R$10,00 / Meia – R$ 5,00.

Local: Tenda teatro popular de Ilhéus – Avenida Soares Lopes.



sexta-feira, 9 de novembro de 2018

ESPETÁCULO INFANTIL ANIMA TENDA TPI NESTE SÁBADO




O Grupo de Arte e Vivência Vem pra Vida apresenta neste sábado (10/11), às 18h, na Tenda Teatro Popular de Ilhéus, o espetáculo O Reino adormecido.
A montagem conta a história de um reino muito alegre, onde as pessoas só vestem roupas muito coloridas e adoram cantar, pular e festejar. Tudo muda quando, de repente, algo muito inusitado acontece. Toda vida daquele lugar acaba tendo que se adaptar a uma nova realidade.
Promessa de muita diversão para a criançada.

Ingressos: R$12,00 inteira e R$6,00 meia.
Classificação Livre.



segunda-feira, 5 de novembro de 2018

PROGRAMAÇÃO DA TENDA TEATRO POPULAR DE ILHÉUS EM NOVEMBRO



  
A programação de novembro na Tenda TPI está repleta de boas atrações.

Logo nesta quinta-feira (08/11) tem “UMA CERTA MÃE CORAGEM”, às 19h. O novo espetáculo do grupo é a segunda parte da Trilogia da Guerra, iniciada com “Os Fuzis da Senhora Carrar” em 2017. A nova montagem, um relato sobre a Guerra dos Trinta Anos (ocorrida entre 1618 e 1648) na Europa dividida entre católicos e protestantes, narra a história de Mãe Coragem, uma vendedora andarilha. Ela acompanha a Guerra com seus filhos e sua carroça, comercializando de tudo. A montagem também homenageia Mãe Ilza Mukalê, uma mãe coragem que, como a personagem fictícia, teve que criar seus filhos sozinha.

 


Serviço:          
​UMA CERTA MÃE CORAGEM
Dia 08 (QUI) | 19h
INGRESSOS: R$ 30 e R$ 15







No sábado (10/11), às 18h, tem a peça infantil O REINO ADORMECIDO, do Grupo Vem pra Vida. Os ingressos custam R$ 12,00 (inteira) e R$ 6,00 (meia) 
No dia 16/11 (sexta-feira), às 20h, tem apresentação do espetáculo “O GRANDE YORICK”, da Trupe Teatro Sem Fim.
A montagem conta a história de Willian Chagas e sua luta para ser um grande artista dos palcos. Desde a infância sofrida na periferia, trabalhando com a mãe vendendo acarajé, e a fase adulta na cidade grande, onde ele vai em busca do seu sonho e descobre a ferocidade do sistema para aqueles que seguem a margem da sociedade.
A trama, passada nos dias de hoje, é livremente inspirada em dois grandes clássicos da literatura mundial: Dom Quixote de Cervantes (a triste figura), e Hamlet de Shakespeare (o príncipe louco da Dinamarca).
O diretor Ed Paixão explica que “em épocas tão conturbadas e difíceis, com a retirada dos direitos da classe trabalhadora, o país voltando a extrema pobreza, e com a classe artística sob ataque constante de medidas arbitrárias do governo, apresentar a peça ‘O Grande Yorick’ é um afrontamento consciente, que usa como força motriz o poder da arte teatral contra a opressão”.




Serviço:
O GRANDE YORICK
Dia 16 (SEX) | 20h
INGRESSOS: R$ 20 e R$ 10








No mês de novembro o CINE DEBATE acontece às quartas-feiras a partir do dia 14/11. O projeto consiste num bate papo após a exibição gratuita de um filme correlacionado ao tema do mês: Panafricanismo. Agende-se:


14/11 (Quarta-feira)
Amistad (1997) - Direção: Steven Spielberg
Duração: 2h35min

Uma representação épica de uma batalha sobre um navio cheio de escravos que se revoltam contra seus captadores em alto mar e ancoram em solo americano. Inicialmente, o argumento nas cortes era sobre o problema da propriedade e posse. Gradualmente, os advogados de defesa entendem que a humanidade dos homens vira mercadoria através da escravidão.

21/11 (Quarta-feira)

Mandela: longo caminho para a liberdade (2013) – Direção: Justin Chadwick
Duração: 2h32min

Inspirado na autobiografia de Nelson Mandela, lançada em 1994, o filme retrata todo o percurso traçado pelo líder sul-africano a partir de seu próprio ponto de vista, desde a sua infância, vivendo em uma pequena aldeia rural, até a eleição democrática ao cargo de Presidente da República da África do Sul. Em uma luta constante pelo fim do apartheid no país, Mandela (Idris Elba) chegou a passar 27 anos em cárcere pelo que acreditava.

28/11 (Quarta-feira)

Selma (2014) – Direção: Ava DuVernay
Duração: 2h 08min

Cinebiografia do pastor protestante e ativista social Martin Luther King Jr (David Oyelowo), que acompanha as históricas marchas realizadas por ele e manifestantes pacifistas em 1965, entre a cidade de Selma, no interior do Alabama, até a capital do estado, Montgomery, em busca de direitos eleitorais iguais para a comunidade afro-americana.



Fechando a programação de novembro tem o 1º ENCONTRO AFRO BAIANO DE ARTES – Edição Ilhéus. Atividade cultural com oficinas, apresentações artísticas e bate-papo.

Programação:


30/11 – sexta feira








19h - Show de abertura com Cijay (Ilhéus/Ba) e Banda Percussiva Dilazenze (Ilhéus/Ba) – Ingressos: R$ 12,00 inteira / R$ 6,00







01/12 – sábado 

09 às 12h – oficina de dança com Nanda Rachell (Inscrições no local – valor R$30,00)
19h  - Solo de dança: "IdEntidade", com Nanda Rachell (Jorge Silva cia de dança – Salvador/Ba) – Gratuito.
19h30 – Bate-Papo cultural. (Tema: A arte como espaço de resistência política). – Gratuito.
  

02/12 – Domingo
09h às 12h – oficina de teatro com Leno Sacramento (Inscrições no local – valor R$30,00)
18h – Apresentação do monólogo En(Cruz)Ilhada, com Leno Sacramento (Bando de Teatro Olodum - Salvador/BA) – Ingressos: Inteira – R$10,00 / Meia – R$ 5,00.